Nota sobre o retorno às aulas na UFGD através de ensino remoto

As organizações estudantis abaixo assinadas, vêm a público expressar seu posicionamento sobre a nota propagandística lançada pela UFGD na última sexta-feira (19). A nota evidencia o que já vinha sendo ventilado nos espaços da universidade, que a “volta às aulas por sistema remoto se dará em breve na UFGD”. Para além de ter disponibilizado um questionário insuficiente e com baixa adesão de respostas, a proposta de retorno às atividades não foi debatida com a comunidades e muito menos nos órgãos colegiados da universidade.

O questionário e os resultados

O questionário enviado para coletar opiniões acerca da viabilidade do ensino remoto é problemático desde sua forma. Pois, para respondê-lo é necessário ter acesso às Tecnologias de Comunicação e Informação, o que já despreza a parcela que não tem acesso e portanto, está totalmente desconsiderada para fins de qualquer levantamento feito a partir desta forma. 

A análise dos dados se dá de maneira oportunista e manipulatória, visto que todos os resultados apontam para a inviabilidade da medida. 4.260 discentes responderam ao questionário do total de 7.576 estudantes da graduação. Assim, 3.316 estudantes ficaram de fora do questionário online. Mesmo assim, a reitoria tem a ousadia de considerar como “grande maioria”, apenas 56% dos estudantes. Destacamos que dos respondentes, 47% ou seja, 2.020 estudantes não são a favor da retomada do calendário 2020.1, utilizando atividades não presenciais. Outro dado, é que 21,4% dos respondentes alegou que não conseguirão manter o pagamento de serviços de internet para realizar atividades remotas.

É importante ressaltar ainda, que 1.405 estudantes responderam que a principal dificuldade que teriam para a participação de atividades em ambiente online está relacionada com fatores psicológicos e emocionais. Além de que, 2.683 mencionaram como dificuldades, a necessidade de interação com os docentes para esclarecer dúvidas, 1.065 declararam ter conhecimento limitado sobre como usar a plataforma online de aprendizagem e 1.022 declararam não ter equipamento adequado.

A nota da reitoria não menciona as respostas de estudantes da pós-graduação ao questionário e até o momento não houve nenhuma informação a respeito das atividades da pós, que para a grande maioria também estão suspensas. No entanto, tivemos acesso aos resultados e apenas 438 estudantes pós-graduandos responderam ao questionário. Segundo divulgação da UFGD, no início de 2019, haviam mais de 2.000 estudantes nos 29 cursos de pós-graduação da Universidade. Assim, o questionário não chegou a um quarto dos e das interessadas. Dos que responderam, 109 acreditam que adotar as atividades remotas pode reduzir seu rendimento acadêmico e outros 206 acreditam que pode reduzir o desempenho “parcialmente”. Apenas 121 consideram que as disciplinas teóricas ministradas por meios online permitem aprendizagens como no ensino presencial. 120 responderam que suas atividades de pesquisa estão paralisadas no momento. E mesmo com uma eventual retomada de atividades via ensino remoto, 215 consideram que não teriam condições de fazer todas as disciplinas planejadas para o ano 2020 em apenas um semestre.

Dos 595 professores, 267 nem mesmo participaram da pesquisa. Dos 328 que participaram, 159 declararam ter “condições parciais” para desenvolver atividades remotas e 13 declararam não ter nenhuma condição. Como principais dificuldades para realizar atividades de teletrabalho durante o isolamento, 180 mencionaram a carência de formação para uso de metodologias e práticas de ensino a distância, 164 mencionaram a Falta de formação para uso adequado de ferramentas de ensino a distância, 162 mencionaram a necessidade de interação com os alunos para desenvolver o conteúdo das disciplinas, 157 citaram o conhecimento limitado sobre como usar ambientes virtuais de aprendizagem e para 140 a natureza das atividades ministradas para os estudantes exige encontros presenciais.  Quanto aos técnicos/as administrativos, apenas 282 dos 584 responderam. Para além da baixa adesão, considerando estes resultados não é possível validar esse levantamento como capaz de assegurar a viabilidade das atividades remotas.

Autoritarismo da reitoria interventora

Tanto o questionário desenvolvido, quanto o anúncio do retorno às aulas se coloca anterior ao debate e parte do pressuposto de que todos já teriam uma opinião crítica e embasada acerca do tema do ensino remoto. As decisões têm sido tomadas de forma vertical, sem a participação dos diretamente interessados e muito menos com a transparência necessária.

Os Conselhos Superiores da UFGD não estão funcionando. Estamos há meses sem reuniões para debater temas importantes para a universidade. A reitoria interventora continua com sua postura autoritária e fere os princípios da autonomia universitária e da democracia interna. Os Conselhos são formados por representantes das três categorias, estudantes, docentes e técnicos/as e há viabilidade de sua realização através de plataformas de videoconferência, como outras universidades têm feito. Mas na UFGD, de forma deliberada, a interventora toma medidas sem nenhuma responsabilidade com a comunidade. 

Prejuízos pedagógicos

O processo de avaliação da viabilidade de retorno às atividades está sendo feito de forma unilateral e exclusiva e não parece estar levando em consideração os evidentes prejuízos para o processo de ensino-aprendizagem. Assim como não se considera a situação sobrecarga e exaustão dos trabalhadores e estudantes decorrente de sistemas de ensino remoto, algo já publicamente denunciado e problematizado nas demais universidades e instituições educacionais que adotaram modelos deste tipo. Esta decisão da administração também não parece estar considerando as atividades práticas de ensino e pesquisa, como estágios, aulas de campo e atividades laboratoriais, impossíveis de ocorrer de forma online. 

Violação dos direitos de acesso e permanência

A imposição desta medida, como está anunciada, é reflexo de posições e agendas políticas irresponsáveis que preferem forçar a manutenção de lógica produtivista na educação do que considerar a realidade econômica-social e os direitos de acesso e permanência na universidade. Preferem também, impor a precarização do ensino, do trabalho docente e técnico-administrativo a priorizar a vida e repensar qual deveria e poderia estar sendo o papel social da universidade neste momento.

Assim, avança sobre a UFGD o projeto de mercantilização que se aproveita do capitalismo em crise e da pandemia, acentuado por uma intervenção autoritária, resultando em grande ameaça à permanência estudantil. Pois, considerar os resultados desse questionário como suficientes para “um retorno remoto bastante viável” é ser condizente com a evasão e os desligamentos de estudantes que não têm condições para acompanhar um ensino remoto. Assim como, não apresentar nenhuma orientação sobre quais medidas seriam tomadas para garantir o acesso a essa parcela de estudantes, evidencia a institucionalização da exclusão social e viola o direito de todos e todas estudantes às mesmas condições de acesso à educação.

Reivindicações

Diante dessas considerações, dos problemas visíveis em todo esse processo e diante da evidente violação do direito do acesso ao ensino superior público e de qualidade, que se apresenta com a iminente implantação do sistema de aulas remotas na UFGD, nos posicionamos:

  1. Contra a imposição do retorno das atividades acadêmicas via ensino remoto na UFGD;
  2. Exigindo a retomada das reuniões dos espaços colegiados, em especial COUNI e CEPEC e das Câmaras de Ensino de Graduação e de Pós-Graduação, assim como a garantia do cumprimento das decisões tomadas nos órgãos colegiados.
  3. Pela garantia de que haja amplo debate sobre todas as atividades acadêmicas, levando em consideração especificidades e excepcionalidades do momento que vivemos e considerando a participação das entidades representativas, em especial das entidades estudantis.
  4. Pela garantia das políticas de assistência estudantil em vigência, em destaque pelo fim do constante descaso que a administração apresenta para com os e as estudantes residentes na Moradia Estudantil da UFGD.
  5. Pela necessidade de discussões nas instâncias superiores e de diretivas mais contundentes da PROPP sobre a suspensão, prorrogação e dilação de prazos para a conclusão de cursos de pós-graduação. 

Por fim, ante o cenário de completo descaso e autoritarismo e do risco de violação dos direitos de acesso e permanência na universidade, convocamos os e as estudantes da UFGD, da graduação e da pós-graduação, a se juntarem à Campanha de Mobilização Nenhum Estudante Fica Pra Trás

Dourados – MS, 23 de junho de 2020.

Assinam,

Associação de Pós-graduandas e Pós-graduandos da UFGD, Gestão 2019/2020.

Diretório Central dos e das Estudantes da UFGD, Gestão 2020 Contra-Atacar.

Centro Acadêmico Francisco A. G. de Barros Gestão Ambiental – UFGD.

Centro Acadêmico de Relações Internacionais Celso Amorim – UFGD.

Centro Acadêmico de Ciências Sociais Florestan Fernandes – UFGD

Centro Acadêmico de Medicina Camilo Ermelindo da Silva – UFGD.

Centro Acadêmico de Ciências Biológicas Charles Darwin- UFGD.

Centro Acadêmico de Ciências Contábeis Luca Pacioli – UFGD.

Centro Acadêmico de Engenharia de Computação – UFGD.

Centro Acadêmico de Geografia Mario Geraldini – UFGD.

Centro Acadêmico de Engenharia de Energia – UFGD.

Centro Acadêmico de História de Dourados – UFGD.

Centro Acadêmico de Direito Águia de Haia – UFGD.

Centro Acadêmico de Ciências Econômicas – UFGD.

Centro Acadêmico de Ciências Sociais – UFGD.

Centro Acadêmico de Psicologia – UFGD.

Centro Acadêmico de Letras – UFGD.

Um comentário em “Nota sobre o retorno às aulas na UFGD através de ensino remoto

Adicione o seu

Deixe uma resposta para Iris Lima Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: