Estudantes da pós-graduação se manifestam pela defesa da autonomia universitária

EM DEFESA DA AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA E DA DEMOCRACIA NA UFGD

A comunidade acadêmica foi surpreendida na manhã do dia 11 de junho, com a decisão do Ministro da Educação, Abraham Weintraub, de nomear a professora Mirlene Damázio (FAED) como reitora pró-tempore da UFGD. A ação do MEC é de caráter autoritária e vertical e não consultou as instâncias colegiadas da universidade. Para além disso, a decisão desrespeita também a escolha de discentes, servidores (as) e professores (as) da Universidade Federal da Grande Dourados, que no dia 12/03/2019, elegeram em Consulta Prévia paritária, o professor Etienne e a professora Claudia para os cargos de reitor e vice-reitora.

O processo de Consulta Prévia da UFGD foi questionado pelo MEC desde o início, numa demonstração clara de intervenção na autonomia universitária. A justiça, através do Ministério Público Federal, também interferiu no processo solicitando a suspensão do mesmo. Atualmente a Lista Tríplice elaborada dentro da legislação e de forma democrática, está suspensa e aguarda uma decisão da segunda instância.

Esse ataque local de desrespeito à autonomia universitária vem ao encontro de outras medidas irresponsáveis do Governo Federal, como foi o corte de verbas de instituições federais e o bloquear de bolsas de mestrado e doutorados de agencias que fomentam a pesquisa do país.

O MEC menospreza a democracia interna da UFGD nomeando Mirlene Damázio utilizando o pretexto da inviabilidade jurídica de nossa Lista Tríplice. Sabe-se, no entanto, que a interventora apoiou publicamente a chapa 2, que foi derrotada, permanecendo em último lugar na Consulta Prévia com apenas 18,66% do total dos votos. Cabe ressaltar que em debates, esta mesma chapa foi questionada sobre a necessidade da construção de políticas institucionais de assistência estudantil para os estudantes da pós, não tendo dado respostas suficientes e nem se comprometendo com esta pauta.

Diante deste cenário, manifestamos repúdio à nomeação da Professora Mirlene Damázio como reitora pró-tempore da UFGD e, portanto, a consideramos interventora e sem legitimidade para exercer o cargo. Exigimos que a comunidade acadêmica da UFGD possa debater e decidir os rumos da instituição. Não aceitaremos a arbitrariedade do MEC nas decisões internas de nossa universidade, defenderemos a democracia e nos colocamos à disposição das demais entidades na defesa da autonomia universitária, bem como pela defesa da pesquisa e do ensino de qualidade.

Convocamos a todos e todas as estudantes da pós-graduação da UFGD para Assembleia Geral no dia 19/06/2019 às 11:30h no Auditório 2 da FCH, onde debateremos o cenário atual da UFGD, os cortes de verbas da educação e daremos outros encaminhamentos.

Comissão Provisória de Representantes da Associação de Pós-Graduandos/as da UFGD (APG-UFGD)

Dourados – MS, 13 de junho de 2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: