Depressão e Ansiedade na Universidade

DEPRESSÃO E ANSIEDADE NA UNIVERSIDADE
[questionário sobre o Grupo de Apoio: https://goo.gl/F3jz7d]

Dando continuidade ao assunto “saúde mental no ambiente acadêmico” queremos falar brevemente sobre dois quadros complicados: o da depressão e o da ansiedade. Tem sido cada vez mais comum jovens se identificarem com traços desses transtornos, porém também há negligência à tais situações e ao conhecimento dos sintomas. O estudante, às vezes, não entende porque está indo mal nas aulas e no dia-a-dia no geral; ou os colegas não percebem tal situação, o que facilita o agravamento do quadro por não saberem como lidar com o problema.

O que é depressão? O famigerado “mal do século” pode se originar de um conjunto de fatores sociais, emocionais e físicos e se desenvolver com traços diferentes em cada pessoa – nós somos seres muito subjetivos, portanto tem de se tomar cuidado ao generalizar comportamentos em decorrência de quadros psíquicos – e seria um reflexo da alteração na atividade de determinados circuitos neuronais no cérebro. Alguns sintomas mais comuns são: apatia, indiferença, sonolência, cansaço/falta de energia, falta de concentração, perda de memória, ideação suicida, pensamentos obsessivo-repetitivos. Você já se sentiu culpado por não ter exercido algum compromisso porque te faltaram energias mentais/emocionais para o mesmo? Coisas que faziam total sentido antigamente para você, hoje em dia perderam a razão? Talvez até já tenha sido diagnosticado e faz tratamento, mas isso não significa que não precise do apoio e compreensão da comunidade acadêmica. Lidar com a depressão, para algumas pessoas, tem sido um grande fardo, e quando o ambiente ao seu redor não respeita esse processo o nível de dificuldade aumenta.

E a ansiedade? Que bicho é esse? Somos naturalmente ansiosos. O medo e a preocupação são naturais do ser humano. Mas, novamente, por um conjunto de fatores, algumas pessoas podem desenvolver um excesso dessa ansiedade e medo natural. Novamente, se trata de alterações na atividade de determinados circuitos neuronais no cérebro. Sintomas considerados mais comuns: agitação excessiva, suor, insônia e pesadelos, hipervigilância, irritabilidade, falta de ar, pânico, pensamentos indesejáveis que causam crises que você pode não entender no momento. É recorrente também que muitas pessoas fiquem deprimidas por conta do excesso de energia desgastada num quadro ansioso. A ansiedade, muitas vezes, paralisa. Ou seja, em razão da excessiva preocupação negativa por coisas muito pequenas você se vê paralisado, confuso, anestesiado e sem saber como agir, etc.

Para quem vive a ansiedade e a depressão o fardo é muito mais significativo do que as meras palavras explicativas escritas aqui. Isso implica diretamente no desempenho acadêmico e na relação com a sociedade ao seu redor. Precisamos nos apoiar enquanto estudantes e sujeitos humanos, para permanecermos na universidade com nossa saúde mental em cuidado. Para isso, continuem respondendo às perguntas do link, para construirmos juntos o grupo de apoio a saúde mental dos estudantes prejudicados pela mesma.

_________________
Envie sua demanda, dúvida, denúncia ou relato: ufgddce@gmail.com (garantiremos o sigilo e responderemos o mais breve possível).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: